Google+ Badge

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

VOLTO A SER

Eu queria apenas ser
O ser divino que sou
Tenho asas na mente
E faço o ninho em corações

Sou assim meio lua
Às vezes crescente em outras minguante
Mas durante o dia aprendi
A ser inteiramente sol

Ilumino minha própria vida
Ofereço um pouco desta luz
A todos que a queira
E que tenham um pouco de fé

Mas se a perco sou lua nova
Invisível, triste, soturna
Não consigo mudar todas as cabeças
E nem tampouco o destino das pessoas

Sou apenas um raio incandescente
Que geralmente deixa marcas
Trago no peito muito amor
E volto a ser o divino que sou...

Mário Feijó
01.01.10

COMENTÁRIO: De acordo com um leitor no site recanto das letras, onde publico meus textos, este texto tem um pouco de filosofia sobre a vida... Faço um devaneio sobre a forma como a vivo e como me coloco para os amigos e os seres que por mim...
Postar um comentário