Google+ Badge

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

PERDOE-ME

Não me queiras mal
Quando acordares
E não veres mais
O meu corpo ao teu lado...

Não me queiras mal
Quando num beijo ardente
Que alguém te der lembrares
Que meus beijos eram melhores...

Não me queiras mal
Quando nas noites frias
Perceberes que nenhum outro corpo
Aquecia melhor o teu...

E que meu corpo
Envolvia o teu em abraços
Te proporcionava orgasmos
Que nenhum outro te proporcionou...

Por isto eu te peço
Perdoe-me a ausência
Perdoe-me a distância
Mas meu corpo nunca mais será teu...

Mário Feijó
18.01.10

COMENTÁRIO: Existem pessoas que só dão valor ao amor depois que o perdem, e quando o amor acaba, a única coisa que podemos fazer é pedir desculpas, mas não dá mais para colar os cacos...
Postar um comentário