Google+ Badge

terça-feira, 2 de novembro de 2010

DEVASSA



Era sempre assim
Ela, devassa, amava
Homens, mulheres e jovens

Deixava a impressão
De que ela nascera
Para praticar o sexo

Não havia hora ou lugar
Que a impedisse,
Nem condições
Ou até mesmo parentesco

Ela era devassa mesmo
Os crentes diziam
Que ela não merecia perdão...

Eu não sei, pois não julgo,
Só sei que ela era
O que podia ser definido
Como uma mulher devassa...

Mário Feijó
02.11.10
Postar um comentário