Google+ Badge

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

LÁGRIMAS SECAM




Algumas vezes eu pensei
Que choraria lágrimas de sangue
Tamanha foi a dor sentida
Mas desta vez foi pior, muito pior... 

Além do caos que ficou minha vida
Tenho que conviver com a solidão
De não estar contigo e do meu eu
Que não reconhece mais o seu chão 

Que não se reconhece mais a si
Nem às suas partes que se esvaem
Feito um rio caudaloso que lentamente seca
Eu estou assim: secando... 

Minha pele envelhece e o vento
Este não me traz mais teus recados
Nem de Londres, de Paris ou da caatinga nordestina
Somente a minha alma fenece... 

Se um dia eu ressurgir das tuas cinzas
Só o tempo irá dizer
Eu te peço perdão pelas lágrimas
Que aos poucos começam a secar... 

Mário Feijó
22.02.12
Postar um comentário