Google+ Badge

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

DA JANELA


DA JANELA
 

Da janela ela sonhava
Como se fora livre
Feito o vento
Que pelos prados corria... 

Da janela ela pensava
Tecia versos em sua escrita
E via o sol lá em cima
Na colina se por... 

Da janela ela pintava telas
Expostas em suas memórias
E costura os dias
Sonhando com a liberdade de seus versos... 

Da janela ela suspirava
Esperando um príncipe
Que nestas alturas da vida
Era um ser desencantado... 

Até que chegou o dia
Onde ela já sem esperança
Da janela projetou-se
De onde agora está encantada... 

Mário Feijó
21.08.12
Postar um comentário