Google+ Badge

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

TEMPOS MODERNOS


Tive coragem
Para espiar pelas frestas da janela
E vi que lá fora o sol continua brilhando
E nem a minha dor passou

A ‘morte’ não transformou
Os meus dias em noites
Ela só os revestiu de solidão
Mas eu já era uma ilha

Agora quero abraços
Os outros querem corpos despidos
Agora eu quero amor
Os outros apenas sexo

Eu quero dividir
Os meus dias e noites
As pessoas querem apenas momentos
Isto não me completa... preciso partir!

Mário Feijó
05.01.12

Postar um comentário