Google+ Badge

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

O DESTINO DE CADA UM


Minha estrada ficou
Muito mais difícil
Sem ti, sem o teu arrimo

Destinos são sempre solitários
Para que no percurso
Possamos amadurecer
Nossos caminhos até se cruzam
Mas sempre caminhamos sozinhos

Tu me permitias
Tu aprendestes com nossos erros
E pensei estar te usando como bengala
A vida não permitiria que sofresses...

Tu sabias que sofrerias
Com as escolhas do meu aprendizado
Preferiste não pagar para ver...

Mário Feijó
04.01.12
Postar um comentário