Google+ Badge

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

EFÊMERO





Quisera ser um pássaro
Um réptil, um peixe, uma rã
Tivesse uma vida efêmera
Mas fosse feliz... 

Tenho inteligência
Sentimentos e preciso de amor
Como da luz do sol
E o que me cobram por isto
Eu não quero pagar... 

Eu quero ganhar afagos e abraços
Sem precisar pagar por isto
Para alguns tudo é dinheiro
E eu quero ensinar outros valores 

Quero pagar com olhares ternos
Com abraços tão quentes
Que dispensam lenha queimando
Que dispensam doses de vodka... 

Mário Feijó
27.10.11
Postar um comentário