Google+ Badge

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

BORBONHOCA






Desde quinta-feira passada
Quando Tamires te criou
Eu te levei na lembrança
E tive saudades de ti 

Pensava: borboleta vive um dia
Minhocas eu não sei quantos
E as “borbonhocas” vivem quantos?
Um dia? Uma semana? Um mês? 

Penso que depende da fantasia de cada um
E você já vive na minha há uma semana
Agora se torna eterna em meu poema 

E dizer que tudo começou
Com sorrisos bobos
De crianças querendo fazer poesia
No conto de uma lagarta? 

Mário Feijó
28.10.11
Postar um comentário