Google+ Badge

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

CUIDADOS D’ALMA






Eu costurei a minh’alma
Que estava esfarrapada
Dizia-se do amor desiludida
E da vida desanimada 

Parecia estar em frangalhos
A pobre alma despedaçada
Cerzi-lhe todos os buracos
E alisei a parte amassada 

Cada parte sua
Estava num canto atirada
Pedaços de alma e do amor
Era uma rosa despetalada 

Depois de todo o cuidado
De com carinho ser tratada
A minh’alma parecia nova
Sentia-se pela vida enamorada... 

Mário Feijó
26.10.11
Postar um comentário