Google+ Badge

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

AMORES GENÉRICOS



BOCAS ÁVIDAS

Enquanto eu espero
Por um amor verdadeiro
Que se envolva em meus braços
Contento-me com os genéricos

E se a fórmula original
Não tiver sido destruída
Eu penso viver novamente
Mesmo que por instantes este sabor

Não há mais seres
Empolgados por viver histórias
Que tenham alguma continuidade
Querem somente emoções diárias diferentes

Para isto se atiram em baladas
Experimentando em bocas ávidas
Beijos sem originalidade
Amores genéricos de alguma fábrica chinesa...

Mário Feijó
31.12.12
Postar um comentário