Google+ Badge

sexta-feira, 20 de maio de 2011

PONDO AS “BARBAS DE MOLHO”


O sopro do vento
Fez voar as barbas de velho
Penduradas na figueira...

No capão a menina chorava
O menino gemia...
Ela no bicho pensava
Ele com medo se protegia...

E o vento soprava
Tudo coisa de criança
Uma bandeira balançava
O velho a barba cofiava...

Chama a “tia” guria!
Dizia o menino à menina
Enquanto as crianças brincavam
O velho na figueira dormia...

Mário Feijó
20.05.11

P.S. Na região litorânea norte do Rio Grande do sul a figueira é símbolo e a barba de velho é uma espécie de planta que vive pendurada às árvores...
Postar um comentário