Google+ Badge

sábado, 2 de agosto de 2014

ENTRE A POESIA E A FOME RESTOU-ME O PECADO



ENTRE A POESIA E A FOME RESTOU-ME O PECADO

Ah! Neftalí (Pablo Neruda) eu também
Só tinha ossos no corpo
E muito poucas carnes
E como você, nasci poeta,
Mas a fome me venceu
Eu não tive a tua coragem
Para brigar e o medo circulava
Por minhas veias sobressaltadas
Fiquei entre o santo e o bobalhão,
Mas renasceu o poeta.
Neste momento nem sei o que sou
Além de vestir-me de pecador...

Mário Feijó
02.08.14
Postar um comentário