Google+ Badge

sábado, 27 de novembro de 2010

TATEANDO NA ESCURIDÃO



Lágrimas represadas
Hidrelétricas de emoção
Um dia de enxurrada
Descontrolada comoção...

Desespero
Equilíbrio
Minhas mãos
Teus lábios

Beijos que curam
Lábios que falam
Sem dizerem o que querem
Mentiras que calam...

Tateando na escuridão
Nem sempre encontramos
Aquilo que procuramos
Algumas vezes na luz há surpresas...

Mário Feijó
27.11.10
Postar um comentário