Google+ Badge

domingo, 5 de setembro de 2010

PLENITUDE




Houve um tempo
Em que meu coração sangrava
Hoje ele apenas pulsa
A vida que o mantém...

Houve um tempo
Em que por minhas mãos escorriam
O teu sabor, o teu mel
Hoje elas afagam pessoas que me amam...

Houve um tempo
Em que eu nem sabia em que estação estava
Se era outono ou inverno, primavera ou verão
Hoje ele marca a minha existência...

A vida é mesmo assim
Há tempo pra tudo
Aventuras, desamores, pardas
Hoje vivo apenas a plenitude de meu ser...

Mário Feijó
05.09.10
Postar um comentário