Google+ Badge

domingo, 13 de setembro de 2009

ESTÓRIAS DE AMOR

Ontem amar era assim:

O amor sempre começa
Com uma friagem na barriga
Um simples olhar
Que não conseguimos sustentar

E vai crescendo tomando conta de nossa vida
Tomando conta de nossos pensamentos
E quando nos apercebemos
Estamos completamente envolvidos

Se formos correspondidos – tudo bem
Se não formos – começa uma batalha pela conquista
Que nem sempre é bem sucedida
Em alguma o amor torna-se platônico
E um dia vira lembranças...

Hoje amar tornou-se:

Um olha para o outro
E se tiver muitos olhando é melhor
Encontram-se, amassam-se
E dão alguns beijos

Satisfeito o desejo ou a vontade de se mostrar
Cada um sai pro seu lado procurando outra vítima
Muitos durante uma noite são capazes de beijar
Mais de cincoenta parceiros... ficou com muitos...

No outro dia tem bastante estórias para contar
E quanto maior o número melhor
Muitos beijam mais em uma noite
Do que eu beijei numa vida inteira

O amor mudou de nome
Porque a onda é FICAR
E quanto mais eu fico
Mais importante sou aos olhos do outro...

Na verdade eu quero saber?

O que é mais emocionante nisto tudo
Ficar, beijar, ir embora,
Nem saber o nome e sofrer de solidão
Ou sofrer de amor, mas ter algo concreto para contar um dia?...

Eu prefiro sofrer por amor
Do que sofrer no vazio por alguém
Que eu não sei quem era
Numa noite escura em uma balada qualquer...

Mário Feijó
13.09.09
Postar um comentário