Google+ Badge

sexta-feira, 30 de março de 2012

NA PRAIA COM AMIGOS






Era um dia quente no final do verão, Daiane combinou com seus colegas de escola fazer um passeio na praia. O objetivo era uma confraternização, visto que as aulas estavam reiniciando.

No entanto assim que viram as dunas, Vitória e Ana Júlia muito afoitas, como se nunca tivessem visto o mar, atiraram-se com roupa e tudo. Depois ficaram batendo queixo e tremendo de frio, estragando a alegria do piquenique. Uma boa parte dos colegas influenciados pelas duas fez o mesmo. Só os mais ajuizados esperaram a opinião do professor, já que o objetivo não era este, mas sim colher subsidio para um trabalho de aula.

Um dia na praia, sempre é um motivo de felicidade para qualquer criança, para qualquer adolescente, mas o mar tem que ser respeitado, principalmente os mares abertos, como são os mares do Rio Grande do Sul. Os perigos sempre se fazem presentes e um dia de felicidade e de irresponsabilidade pode também ser um dia fatal em nossas vidas. E fatalidade não manda avisos.

O número de salvamentos realizados pelos salva-vidas nos litorais Norte e Sul e balneários de águas internas chegou a 1.022 até às 13h do dia 15/3/12, segundo levantamento apresentado pela 42ª Operação Golfinho. O índice é 47% menor do que o registrado no mesmo período do ano passado, quando foram resgatadas 1.919 pessoas. A Operação Golfinho teve início em 17 de dezembro.

As mortes por afogamento também apresentaram redução. Os dados divulgados pela operação mostram o perfil das pessoas que mais se arriscam. A maioria dos resgates aconteceu entre as 14h30 e 19h e envolveu rapazes entre 11 e 20 anos.

Para o comandante dos salva-vidas, tenente-coronel Rogério Alberche, é fundamental que se conheça as áreas de banho antes de entrar na água. "Seja mar, rio ou lago, é importantíssimo conhecer o local, saber se há pedras ou madeiras, e banhar-se com água até a cintura". Outro conselho dos salva-vidas é que o banhista mantenha-se calmo ao constatar a impossibilidade de retornar sozinho à beira da praia. "Neste caso, o importante é manter a calma e procurar boiar na água até a chegada dos salva-vidas".

Assim sendo, penso eu que o mar ou até mesmo um local com águas paradas, mas desconhecidas, deve ser respeitado.

Pensem nisto colegas e aproveitem muitos verões que virão e tirem dos erros cometidos lições para não repetirem o que fizeram outro dia, pois segundo o professor me falou ele não mais os levará para fazerem passeios pelas ruas...

Beijos da Colega Daiane


 
Mário Feijó
30.03.12

_____________________
* Exercício tema com minha personagem onde os alunos também receberam a incumbência de escrever sobre um piquinique na praia...

http://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/publicacoes/index.php
Postar um comentário