Google+ Badge

sexta-feira, 23 de março de 2012

BANHO DE LUA





À noite
Todos os dias
Luzia ia
Na cachoeira se banhar 

Até que um dia
Quando a bela Luzia
Na luz da noite
O corpo despia 

Entrou n’água
Que estava fria
E sua pele fez arrepiar 

Houve um coiote
Que via Luzia
Todas as noites
Sob o luar 

Até que um dia
Ele se transformou
Atacou Luzia
Feriu seu corpo e a matou 

Agora nas noites
De lua cheia
A cachoeira sangra
Pela morte de Luzia... 

Mário Feijó
24.03.12
Postar um comentário