Google+ Badge

domingo, 27 de fevereiro de 2011

UM AMOR ALÉM DO QUE EU POSSO SER


Há coisas que melhor se dizem calando.
Machado de Assis

Eu preferia ter nascido réptil
Carne por dentro e osso por fora
Porque talvez não sentisse dor
E a  cada estação trocava toda a carcaça

Eu preferia ter nascido lagarta
Para ser borboleta nem que seja por um dia
E depois sucumbir no ciclo da metamorfose
Sendo sempre diferente a cada ciclo

Eu preferia ter nascido zangão
Para ser devorado por ti
Como faz a viúva negra com seu macho
Assim eu saberia que te importas comigo

Eu preferia ser o vento
O sol que te ilumina
O calor que te aquece
Assim estaria perto de ti, tocaria teu corpo...

Mário Feijó
27.02.11
Postar um comentário