Google+ Badge

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

GRÃO DE AREIA




GRÃO DE AREIA

Eu sou pedra
Grão de areia
Que o vento
Atira em teus olhos

Banho-me no teu suor
Rolo em tuas lágrimas
Esfoliando tua pele
Para arrastar-me no teu sexo

E quando tua saliva quente
Toca-me dormente
Sou tua carne, teus ossos
Teus dentes a morder

Dentro de ti escondo-me
Sem querer sair, teu feto,
Rebento que não quer nascer
Quero em teu corpo crescer...

Mário Feijó

28.11.14
Postar um comentário