Google+ Badge

quinta-feira, 31 de julho de 2014

ORDEM DOS POETAS BRASILEIROS entrevista Mário Feijó

Ordem dos Poetas Brasileiros ENTREVISTA O POETA MARIO FEIJÓ (UM FORTE ELO DE AMOR COM A POESIA)

O POETA MARIO FEIJÓ JÁ É UM POETA CONSAGRADO, SEJA PELA EDIÇÃO DE SEUS VÁRIOS LIVROS, SEJA PELO CARINHO E RESPEITO QUE COLHE DE SEUS FÃS E AMIGOS. DONO DE UMA POESIA LÍMPIDA, MODERNA, ATUAL ELE TEM SE DEDICADO TAMBÉM A MINISTRAR A VÁRIAS OFICINAS DE POESIA PELO PAÍS, ESSE MESTRE EM LITERATURA É SEMPRE INTENSO NAQUILO QUE FAZ, PROVA É ESTA ENTREVISTA CONCEDIDA DE ALMA ABERTA E COM TODO O CARINHO DELE PELA POESIA E POR OS AMIGOS DE OFICIO. PARABÉNS POETA.

ENTREVISTA CONCEDIDA AO POETA MAURICIO DE AZEVEDO


1- QUEM É O POETA MÁRIO FEIJÓ?

R- Mário Feijó é um sonhador, por isto multiplica seus sonhos em poemas, em amor, em qualidade de vida. Incentiva que os outros façam o mesmo porque amar não dói e o amor é a única coisa que quanto mais você dá mais ele se multiplica em sua vida... curriculum... por aí tem alguma coisa minha, hoje se acha tudo na internet...

2- COMO O POETA VÊ A ATUAL PRODUÇÃO POÉTICA BRASILEIRA?

R- A atual fase poética brasileira é uma das mais profícuas e criativas, mas como em todas as áreas tem muito joio misturado ao trigo. Existem muitos pseudos-poetas, gente que acha que escrever um lamento de amor em forma de poema é poesia... Mas há espaço pra todos, os melhores sobrevivem: é a lei da natureza.

3- O POETA JÁ LANÇOU VÁRIOS LIVROS, QUAL A SUA EXPECTATIVA EM RELAÇÃO AO MERCADO CONSUMIDOR QUANDO DO LANÇAMENTO DE UM LIVRO?

R- Quando eu lanço um livro, sinceramente, não tenho expectativa nenhuma. O que eu queria é que me lessem, que lessem pedaços de jornais, que lessem uma folha que o vento traz, mas que lessem. As pessoas têm preguiça de ler e se acomodam na frente de uma televisão sem viver os sonhos que uma boa leitura oferece... Que a cultura e a educação evoluam: esta é minha real expectativa.

4- FALE- NOS DA SUA EXPERIÊNCIA COM AS OFICINAS DE POESIAS. COMO OS JOVENS REAGEM?

R- A minha experiência com as Oficinas Literárias é fantástica. Eu trabalho com grupos diversos, de crianças à idosos. Eu me sinto fazendo arte porque não é só poesia que levo: é a forma de ler; o encantamento dos contos e das histórias; a descoberta de que tudo podemos dentro da arte e quando temos um personagem, ele é nosso terapeuta. Outro dia um menino de nove anos, em casa, começou a ler pra mãe um conto que fez com seu personagem, numa visita ao Sitio do Picapau Amarelo (li um capítulo de Monteiro Lobato e mandei que o seu personagem visitasse e interagisse com os personagens do sítio). Foi um encantamento. A irmã de cinco anos ouviu e quis ir na Oficina, eu disse pode trazê-la... ela só escutava, pegou uma folha de papel e começou a desenhar. Depois dobrou escreveu o nome dela (que era a única coisa que sabia escrever) e no final da aula me entregou: "pra você Mário Feijó"... Isto foi uma realização. Senti que estava fazendo a coisa certa.

5- ACREDITA QUE ESTAMOS DIANTE DE UMA FASE PRODUTIVA DE POESIA NO BRASIL SEGUIDA DE QUALIDADE

R- . Quanto a estarmos ou não numa fase produtiva e fazendo coisas
com qualidade eu não sei. Só sei que os editores têm muito preconceito quanto à poesia e não querem publicar, mas cada livro que faço imprimo 1000 exemplares que vendo por onde ando ou a quem me solicita pela internet... sempre brinco que posso até financiar pelo sistema financeiro de habitação junto ao Banco do Brasil e à Caixa Econômica Federal (parece uma propaganda, mas nunca ganhei ou tive qualquer patrocínio de alguém, tudo é feito com recursos próprios e se eu não tivesse recursos não conseguiria publicar meus escritos). Não vivo de arte, nem de literatura. Vivo para elas.

6- QUAIS OS POETAS BRASILEIROS QUE INFLUENCIARAM A SUA OBRA?

R- Poetas que me influenciaram: quando eu era criança lia muito Pablo Neruda, José de Alencar, Machado de Assis, Érico Veríssimo e até aquelas revistas com novelas e qualquer pedaço de jornal que o vento trazia, pois não tinha dinheiro para comprar nada. Lia o que conseguia na casa de parentes ou na pobre biblioteca da minha escola pública. Hoje adulto leio Florbela Espanca, Elisa Lucinda, Carlos Drummond, Vinícius de Moraes, Olavo Bilac... mas minha preocupação na poesia é deixar em meus poemas uma mensagem onde o amor seja a essência. Penso que só o amor constrói... então permitam-se amar!

7- SEU NOME ESTÁ LIGADO A VARIAS ACADEMIAS E MOVIMENTOS DE POESIAS. QUAL A IMPORTÂNCIA DELES?

R- O meu nome está vinculado a algumas instituições... sim. Algumas. Mas não é isto o mais importante. O importante nestas instituições é que estamos junto daqueles que fazem o mesmo que nós. A convivência com gente que faz a mesma coisa e, ainda por cima inteligente, é ótima. Pena que nem todo mundo é tão inteligente (risos)... Nem eu, às vezes. Algumas vezes a literatura é vista como algo secundário e sem importância na vida das pessoas... Tive uma aluna de dez anos que a mãe dava R$ 10,00 para ela ficar em casa cuidando da irmã para não ir às minhas aulas. Isto que eu dava uma vez por semana a Oficina, mas aquela mãe não tinha ideia do que sua filha aprendia nas minhas Oficinas, e nem se importava com isto...

8- ACHA QUE O GOVERNO ESTÁ INVESTINDO CONCRETAMENTE NA POIS AI E LITERATURA BRASILEIRA?

R- O mais importante não é o curriculum que temos, mas a pessoa que somos. Cora Coralina não tinha curriculum escolar, no entanto nos ensinou tanto... por isto digo que não é o curriculum que faz a pessoa. O meu é só uma referência boba, para quem precisa disto para me dar valor, mas o meu valor não está no meu curriculum mas na pessoa que eu sou.. Quando o assunto é política, apesar de nós seres humanos sermos seres políticos, já determinaram filósofos como Sócrates e Platão, mas esta política obscura que aí está eu estou fora. O governo distribui em "conta gotas" recursos para a cultura e para a educação. Para a Cultura uma gota por mês e para a educação uma gota por dia. Não que isto resolva alguma coisa ou que a Educação ganhe muito mais. Mas enquanto este país não investir pesado na Educação e um pouco mais na cultura, continuaremos sendo uma colônia explorada agora por políticos safados, antes pelas nações poderosas. É o que eu penso hoje, amanhã quem sabe pense diferente, não sou o mesmo todos os dias. E diante de outros argumentos pode ser que minha opinião mude.

9 - O QUE DIRIA A UM JOVEM POETA QUE PENSA EM LANÇAR O SEU PRIMEIRO LIVRO?

R. Eu diria a um jovem poeta, antes de lançar seu primeiro livro (antes, bem antes) leia muito. Aprenda com quem faz. Não pense que uns simples "poeminhas" são obras primas. Peça para alguém que entende do assunto ler. Tenha humildade de aprender sempre... Passou por todas estas etapas: peça para alguém revisar seus textos. Agora sim publique e vá em frente... e boa sorte. Às vezes é só disto que se precisa na vida...

10 - ACHA QUE OS POETAS ESTÃO PROCURANDO REALMENTE OCUPAR OS ESPAÇOS QUE LHE SÃO PERTINENTES NA ESFERA PÚBLICA?

R- O que eu acho é que o Poeta não tem que se preocupar com espaços... Temos que fazer o que gostamos e deixar acontecer naturalmente tudo. Espaços são preenchidos por pessoas competentes; por pessoas com sorte e padrinhos; ou quando a pessoa tem dinheiro e se impõe. No entanto sobreviverá dentro da literatura e um dia será lembrado e jamais esquecido aquele que com conhecimento e competência fez o seu trabalho pautado no conhecimento adquirido, nas experiências de vida, e no amor que pratica por tê-lo em seu coração. Quem tem amor tem luz, brilha naturalmente feito as estrelas...

11- POESIA E POLÍTICA PODEM ANDAREM JUNTAS?

R- Poesia e política juntas... Até pode, mas não combinam. A poesia é uma flor, já a política como anda sendo praticada é lama. Não combinam. Mas tem flor que nasce até nos pântanos. Por exemplo, a flor de lótus, floresce nos pântanos. O que eu penso é que um poeta metido na política, do jeito que ela está hoje se corrompe. A regra é bem geral, mas deve haver exceções... (risos).

12- CITE UMA EXPERIÊNCIA AGRADÁVEL E UMA DESAGRADÁVEL COM A POESIA?

R- Uma Experiência agradável com poesia... até já citei anteriormente. O caso da menina de cinco anos que foi com o irmão assistir minha Oficina. Mas minha experiência com alunos na Cidade de Arroio do Sal - RS, adolescentes com idade entre 10 e 17 anos também foi muito frutífera, tanto que acabou sendo publicados dois livros com os trabalhos que eles escreveram... Já minha experiência negativa foi que assinado o contrato para ministrar oficina, coloquei uma cláusula onde o Prefeito teria que publicar o livro... esperei três anos pela publicação, no final da contas peguei meu dinheiro e publiquei eu mesmo o trabalho de mais de 30 alunos. Esta é uma das pérolas que um aluno de 10 anos escreveu: "BORBOLETA / Borboleta voando contra o vento / quem eu amo não me ama / Quem me ama perde seu tempo." Não é um encanto?

13- FALE TUDO O QUE DESEJAR SOBRE POESIA:

R- . Falar tudo o que eu quiser sobre poesia... bem, você mexeu num abelheiro. Se deixar eu farei um compêndio sobre isto. Mas direi poucas palavras: LEIA MAIS! Nunca pensem que seu primeiro "livrinho" é o maior best-sellers e que você irá ganhar o Prêmio Nobel de literatura com ele só porque sua família não tem coragem de dizer que adorou o livro, mas colocou na prateleira sem ler... espere pra ver se quem não lhe conhece compra seu livro, se isto começar a acontecer, você está no caminho certo... continue escrevendo, mas não pare nunca de ler seus colegas. Era isto o que eu tinha para dizer a respeito do assunto. Espero não ter decepcionado-os.
..
CARÍSSIMO POETA MARIO FEIJÓ. OBRIGADO PELA GENEROSIDADE DA SUA ENTREVISTA E PELA GRANDIOSIDADE DE SUA ALMA . ABRAÇOS. MUITO OBRIGADO.
Postar um comentário