Google+ Badge

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

DESTINOS CRUZADOS





Eu era a estrada
De mão dupla pela qual
Tu trafegavas sem problemas.
Éramos o destino um do outro...  

De repente fugiste
Da minha vida, do meu caminho
E eu fiquei sabendo que você
Tem andado na contramão... 

Tua estrada está esburacada
Faz tempo não tem conservação
E a minha vazia está
Sem trânsito algum, deserta... 

Mantenho-me na mesma direção
Conservando meu destino
Quem sabe teu amor
Volte a trafegar por estes lados... 

Mário Feijó
14.09.11
Postar um comentário