Google+ Badge

quarta-feira, 11 de março de 2015

BOEMIA E TRAIÇÃO

BOEMIA E TRAIÇÃO

Eu ando pela vida
Feito vento endiabrado
Que se espalha pelo prado
Refrescando flores do campo

E bebo em suas corolas
O néctar que me entregam
Aproveitando da vida
O mais puro amor

Tenho a liberdade do vento
Quero a alegria das andorinhas
Quando no final de tarde
Pousam todas no fio a gorjear

E vento não se aprisiona
Ele é boêmio e livre
Mesmo quando a ti se entrega
Numa taça semelhante à traição...

Mário Feijó
11.03.15


Postar um comentário