Google+ Badge

sábado, 28 de março de 2015

AMOR ETERNO, ETERNO AMOR

AMOR ETERNO, ETERNO AMOR

Duvidavas que eu pudesse amar-te
Ando te amando perdidamente
Quase a Marte fui, só delírios,

Na passagem vi estrelas
Estive no olho do furacão
Quando estive na aurora boreal

Amor eterno não se jura
O amor não vive delas
Mas do amor que sentimos
E que não precisamos comprovar

No entanto se quiseres saber
Espere pela eternidade
Lá continuará meu amor
Intacto dedicado a ti...

Mário Feijó

28.03.15
Postar um comentário