Google+ Badge

sexta-feira, 27 de março de 2015

A ETERNIDADE DO DIAMANTE

A ETERNIDADE DO DIAMANTE

Eu te esperei
Por uma vida inteira
E agora que chegou
Não queria mais que partisse

Queria a rotina
Dos teus beijos
Do sexo que fazemos
A eternidade de um diamante

E agora te vejo partir
Como se fosse uma gema
Que se fragmenta
E tenho as dores dos pedaços

Bate o vento e vais
Chega a noite e te vais
Por qualquer motivo bobo
Vejo-te partir nas dunas à beira mar...

Mário Feijó

27.03.15
Postar um comentário