Google+ Badge

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

ALMAS ABANDONADAS

ALMAS ABANDONADAS

Desde que partiste
Cada grão de areia
Cada folha caída
Cada inseto que me suga o sangue
Falam de ti, falam de nós
Lembram de ti com saudade

E eu vou me transformando
Ora em grão de areia
Ora nos ventos que levam
Os grãos de um lado para o outro

Há vezes em que eu sou folha seca
Que as árvores abandonam
Como se liberassem suas almas
Para correr o mundo
Em busca do teu amor...

Mário Feijó
13.10.14
Postar um comentário