Google+ Badge

terça-feira, 5 de junho de 2012

LUA QUE SE ENCHE DE MIM


LUA QUE SE ENCHE DE MIM

Eu queria ser a chuva
Para adentrar na terra
Ser volátil para no vento
Envolver-me em teu corpo 

Ser a luz
Para não prender-me
Ser as ondas do mar
Para no teu corpo me agitar 

Ser apenas um homem
Ser putrefato, ignóbil
Frágil, doente, demente
Indecente, carente e temente a Deus 

Uma pequena criatura
Cujo prazo de validade já expirou
Que continua existindo
Porque a lua se enche de mim... 

Mário Feijó
05.06.12  
Postar um comentário