Google+ Badge

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

INCENDEIAS MINHA VIDA


É sempre tão pouco
O que eu tenho de ti
É sempre efêmero os momentos
Que nós estamos juntos

Isto não é suficiente
Para matar a tua saudade
Para matar o meu desejo
E o tempo é demais para a minha aflição

Eu te queria um pouco mais
Perto, dentro de mim
Saciando a minha libido
Acalmando os meus hormônios

Tesão, paixão, submissão
Tudo se mistura feito lava de vulcão
Escorrendo morro abaixo
Incendiando a minha vida...

Mário Feijó
03.12.10
Postar um comentário