Google+ Badge

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

O VELUDO



O VELUDO

Há entre nós dois
Um vácuo tão grande
Que nem os ecos sobrevivem

Há vãos entre nossos corpos
Protuberâncias entre minhas coxas
Que quase são incompatíveis com as tuas
Não têm problemas, eu me adapto...

No entanto o veludo
Dos teus carinhos
São lenitivos certos
Capazes de curar meus males

És quase tão cruel
Quando estabeleces preço ao amor
Quanto eu que por carência
Aceito as condições estabelecidas...

Mário Feijó
22.11.12
Postar um comentário