Google+ Badge

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

ENTRE UMA TEMPESTADE E OUTRA











Aproxima-se o final do ano. Daiane encantada descobre que no litoral gaúcho as escolas levam seus alunos para comemorar o encerramento do ano letivo, num dos parques aquáticos locais.

Chegou em casa fazendo planos e contando que em Fortaleza tem o Beach Park, um dos maiores e melhores do nordeste. Mas ela nunca pode ir. Então pensou, aqui eu vou.

Os meninos, como ela chamava, Márcio e Marcos, tinham ido para Porto Alegre arrumar apartamento, verificar a possibilidade de fazerem suas transferências para a Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Também caso ficasse difícil iriam ver preço de mensalidades e matrículas na PUC/RS, tudo conforme tinham combinado e planejado fazer para o próximo ano.

Daiane convidou Dona Maria de Lourdes para ir junto, tão eufórica estava, mas esta disse, isto é coisa para a tua idade guria. Eu já estou muito velha para isto.

Daiane foi no comércio procurar um maiô, visto que não tinha nenhum ainda, e pensou que biquíni não ficaria legal escorregando naqueles tobogãs altíssimos. Além do mais os meninos não estariam juntos para protegê-la.

Fez uma cesta com lanches, água, refrigerante, tudo como manda o figurino, já que nestes locais os lanches, geralmente consomem todo o dinheiro, de quem já tem pouco, pensou ela. Ah, ia me esquecendo, tenho que colocar também filtro solar, não quero ficar ardida e nem vermelha, feito camarão ao bafo.

Chegou o grande dia. Daiane estava feliz porque tinha passado em todas as disciplinas. Era sim motivo para comemorar esta sua nova vida. Pegou sua cesta, toalha de praia, chapéu e todas as parafernálias que juntou para levar e foi pra frente do colégio se juntar aos colegas, esperando o ônibus que os levaria ao parque aquático.

De repente começou a cair um vento forte, o céu foi escurecendo e todos começaram a ficar apreensivos com o desfecho que o tempo poderia tomar.

- E agora? Dizia Letícia, colega de Daiane.

- Meu Deus do céu, eu me preparei a semana inteira para este passeio. Será que irão suspender? Dizia, entre apreensiva e decepcionada Daiane.

Correram todos para dentro do colégio, enquanto o tempo fechava e um grande temporal caia.

Foi um daqueles temporais devastadores, como nunca se viu nos últimos tempos. Teve até furacão. Árvores foram arrancadas, casas destelhadas e duas mortes na cidade.

Os professores ficaram sabendo que o Parque havia sofrido danos sérios e que por este motivo o passeio seria adiado.

Menos de duas horas depois o tempo mudou, como se não tivesse acontecido nada.

Daiane convidou as colegas para que fossem então todos para a praia passar o dia, só assim todos os preparativos não seriam desperdiçados.

Daiane entre decepcionada e preocupada com tudo o que o tempo causou na cidade e região, resolveu que tempestades sempre aconteceram em sua vida e não seria esta que iria derrubar o seu bom humor. O parque aquático podia esperar...



Mário Feijó

07.11.11

 
Postar um comentário