Google+ Badge

terça-feira, 16 de setembro de 2014

COLIBRI

COLIBRI

Eu ando pelos jardins
Entre extasiado e encantado
Com tantos perfumes diferentes
Mas nenhum se compara ao de Amor-Perfeito

Mas amores perfeitos são frágeis
Deixei-os às borboletas e insetos
Fui beijar Rosa que se desfolhou

Margarida ficou indecisa
Num jogo de bem-me-quer, mal-me-quer...

Cravos, Jasmins e Girassóis
Amavam-me por um dia
Depois murchavam diante do sol

Eu colibri solitário
Indeciso entre as flores
Que desabrochavam e feneciam
Tive que me contentar
Com as flores de plástico...

Mário Feijó

16.09.14
Postar um comentário