Google+ Badge

sábado, 18 de janeiro de 2014

AZUL MARINHO



AZUL MARINHO

Eu fiz deste mar imenso
Um marzinho só meu
Batendo nos meus pés
Na beirinha da água quase morna

Era um recanto encantador
No canto da ilha
Que a minh’alma adotou

Entre um recanto azul marinho
Refugiado, reuni meus livros
Dois gatos para caçar os ratos
Que poderiam querer roer minha leitura

Ainda se fosse para ler meus livros
Eu nem os ameaçaria com gatos
Mas para destruir meus sonhos
E se apossarem de meu pequeno mar: jamais!

Mário Feijó
18.01.14
Postar um comentário