Google+ Badge

sexta-feira, 3 de maio de 2013

DESDE QUE TE FOSTE



DESDE QUE TE FOSTE

Sem ti
Foram-se minhas rimas
Os meus versos emudeceram
Nem o vento
Assovia mais em minha janela

Sem ti
A lua ficou sem graça
E se esconde atrás de nuvens negras
O mar se encrespa todo
E as rosas não se abrem mais
Eternizaram-se em botões desnutridos

Sem ti
Tudo tem sido monocromático
Os alimentos estão sem sabor
E eu passo os meus dias pensando
“Ai como era bom, estar contigo”...

Mário Feijó
03.05.13
Postar um comentário