Google+ Badge

quarta-feira, 6 de julho de 2011

A MENINA DAS CARAMBOLAS





        Eu não sei por que ela gostava tanto de carambolas. Pensava que era porque quando as cortava e colocava na salada, parecia que estrelas tinha ali repousado, mas ela disse que era pelo sabor diferente – exótico, diria eu.

Carambola é uma fruta diferente: além de ter cinco lados, o gosto é meio cítrico, meio aguado, mas excitante.

Um dia ouvi um médico dizer na TV que quem tinha feito transplante de rim não poderia comer carambolas. Não sei a razão e ele também não argumentou e eu fiquei com um pouco de medo de comê-las...

Larissa as comia como se comesse a coisa mais saborosa do mundo. Eu, particularmente quando criança adorava-as (acho que é porque na casa da minha avó tinha um pé, e eu adorava comer frutas frescas, apanhadas no pé). Agora não vejo e nem sinto mais graça no sabor das carambolas.

Esqueci de dizer que Larissa é minha neta e deve ter herdado este sabor infantil por carambolas de mim. Mas ela adora qualquer fruta e experimenta com facilidade as que não conhece. Eu já não sou assim e sempre resisti a provar gostos novos. Manga fui provar depois dos quarenta anos, adorei. Açaí depois dos cinquenta. Também gostei, mas não repeti.

Ainda existem muitas frutas tropicais ou exóticas que me reservo o direito de não provar (risos), mas a menina das carambolas prova tudo. Come tudo. Eu queria ter sido assim...





Mário Feijó

06.07.11
Postar um comentário