Google+ Badge

sexta-feira, 29 de julho de 2011

ENTRE A SEDUÇÃO E O AMOR





        Quando cheguei de madrugada, a cama estava vazia. Eu morria de frio e ela tinha ido embora, talvez por ciúmes ou para me encostar na parede. Até a cachorra ela levou consigo, sinal de que estava mesmo brava. Resolvi tomar um banho para me esquentar enquanto a cama aquecia com o lençol elétrico ligado. Ao sair do banho e entrar no quarto deparei-me com Vera, minha cunhada, deitada em nossa cama.

Seu rosto estava afogueado e suas mãos cobriam os seios nus. Era óbvio que eu não esperava por esta situação e era apaixonado por minha mulher, Vera sabia disto e aproveitou a situação para tentar me seduzir. O que ela não tinha inventado à irmã?

Quem resistiria ao apelo daquela jovem de 18 anos, corpo esculturalmente lindo? Mas meu amor por minha esposa era mais forte. Se eu ficasse sei que não resistiria à tentação, então o melhor era sair de casa e no outro dia procurar minha mulher para explicar que eu não tinha culpa e nem criei aquela situação. Contar-lhe-ia que devia ser armação de sua irmã, pois eu a amava mais que tudo. A carne até pode ser fraca em algumas situações mas meu amor era muito mais forte...



Mário Feijó

29.07.11
Postar um comentário