Google+ Badge

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

ALVO

Quero um pouco de ti
No perfume das flores
Nos raios de sol e de luar
Agora que aqui não estás
Fico a te procurar em filigranas

E com gana de encontrar
Algum amor (mesmo que passageiro)
Não me permito deixar de amar

Não quero ser um velho amargurado
Que nas noites silenciosas
Geme agarrado ao travesseiro
Agora que não tenho você
Para dividir minhas dores...

Têm horas em que eu me pergunto
Quem de nós dois morreu?
Eu apenas sobrevivi para servir de alvo
E todas as flechas têm sido certeiras...


Mário Feijó_________________________________
22.09.12
Postar um comentário