Google+ Badge

sábado, 12 de maio de 2012

BOCAS DESNUDAS





Tua boca desnuda
Agora encerra meu nome
Aguardando uma nova primavera
Sempre haverá outras bocas  

Todas desiguais
Porque mesmo os verões
Não são os mesmos
E os meninos envelhecem 

Mas as mulheres parecem ganhar vida
A cada estação amadurecendo
Como se fossem frutas... 

Assim uma nova boca aparece
Para sugar frutas maduras
Sorvendo delas o gosto de maracujá... 

Mário Feijó
11.05.12
Postar um comentário