Google+ Badge

sábado, 24 de maio de 2014

VENTO NA JANELA



VENTO NA JANELA

Quase sempre é assim
Tenho um vazio dentro de mim
Que está cheio da tua ausência

Tua presença
Não se faz mais presente
Restaram-me desamores
E o vento na janela

A lua crescente
É a que se faz mais presente
Com uma frequência
Que me parece diária

Há esperança sim
Mas este vazio
É que esta quase sempre
Cheio de ti
Das tuas lembranças e
Dos nossos momentos

E eu que antes
Tinha tanta alegria
Agora estou parado no tempo...

Mário Feijó
24.05.14
Postar um comentário