Google+ Badge

quinta-feira, 27 de março de 2014

CAVALO MARINHO PARA PREFEITO DOS MARES DO SUL



CAVALO MARINHO PARA PREFEITO

No mundo encantado das águas do fundo do mar todos os animais têm uma função.
Há os que mandam e os que obedecem, como no nosso mundo, na terra.
Os maiores e mais fortes mandam e os pequenos obedecem. Há também os que são responsáveis pela organização geral, como no mundo dos homens.
No mundo dos animais eles não se matam por prazer. Os grandes comem os pequenos só quando têm muita fome.
Há sempre muita ordem, mas como estavam acontecendo coisas não muito legais com a política dos mares o cavalo marinho resolveu que iria se candidatar a Prefeito dos Mares do Sul. Estava cansado de ser mandado pelo Sr. Robalo, há muito no poder.
As ostras quando ouviram tal disparate começaram a rir que não parava mais. Algumas até perderam suas pérolas de tanto rir.
Diziam: - como pode, um bicho tão pequenino querer ser o prefeito?... Rá... rá... rá...
- Ninguém irá obedecê-lo.
Mas o Cavalo Marinho não queria saber de desistir. Falou com Lula Gigante que já tinha sido Prefeito, mas ele não queria se comprometer.
Falou com Dona Arraia e também nada. Os Baiacús e Camarões não adiantava, eram Zé Povinho dos mares. O Polvo até disse que o apoiaria, mas que precisaria de novos aliados.
Foi aí que o Cavalo Marinho pensou no Sr. TuTu-Barão. Ele nem era morador destes mares, mas era seu amigo de outra época em que o Cavalo Marinho andou pelo nordeste do Brasil.
Chamou o Peixe-Elétrico e passou um email por intermédio dele. A resposta foi imediata. Logo veio um peixe espada com a resposta.
Caro amigo. Entendo suas pretensões e o apoio. Na próxima lua cheia estarei aí para conversarmos. Abraços, TuTu-Barão.
Dito e feito. Lua cheia e seu amigo forte e vistoso apareceu pela região.
Todos tremeram de medo. A notícia se espalhou feito mancha de óleo, jogado de navio.
E quando todos viam os dois passeando pela praia, lado a lado, indo até a embocadura do Rio Tramandaí, ninguém mais duvidava que o Cavalo Marinho seria o próximo prefeito.
Nem compra de votos precisou. Tampouco as urnas foram fraudadas. todos temiam aquela aliança e o Cavalo Marinho foi eleito com 97% dos votos. Os três por cento faltante tinha sido engolido horas antes pelo senhor TuTu-Barão, antes da refeição do meio dia.
Cavalo Marinho pensou que seria interessante manter TuTu por perto e o nomeou Secretário de Segurança. Era necessário manter a ordem na região. Mas não havia necessidade de se manter a força.
O prefeito decretou tolerância Zero às badernas e o crime desapareceu na região. Ele tinha lido algo parecido em um jornal americano atirado nos mares por um cruzeiro marítimo. Dizia no New York Times “Prefeito de Nova York decreta tolerância Zero”, e fez o mesmo por estes mares.
Agora os mares do sul são os melhores para se viver e até para o turismo, diziam os peixinhos que por ali habitavam.
Não precisava mostrar a força, bastava que TuTu-Barão mostrasse os dentes...

Mário Feijó
26.03.14

Postar um comentário