Google+ Badge

sábado, 31 de julho de 2010

BULLYNG




Quando pequeno eu era perseguido
Mas acreditava que criança
Deveria ser somente amada
E que não havia maldade nas outras

Enganei-me em minha inocência
Criança nem sempre é amada
Nem sempre é um anjo e
Nem sempre é compreendida...

Eu gostava de ouvir músicas
Mas era proibido de fazê-lo
E quando meus pais saiam
Sempre tinha alguém que ia contar
Apanhei muitas surras por isto...

Tampouco entendia meu pai
Que para me fazer levantar
Puxava no inverno todas as cobertas
O frio que meu corpo sentia
Ainda hoje dói em minha alma...

Tudo já foi superado
Mas quero deixar registrado
Tristezas que um dia eu sentia...

Mário Feijó
25.07.10
Postar um comentário