Google+ Badge

sábado, 10 de julho de 2010

MOMENTOS DE SILÊNCIO




Eu vivo momentos de silêncio
Onde eu sou o próprio silêncio
E para não quebrá-lo passo lascivo
Sem quebrar o tempo, sem tocar no vento

Apenas sou um gemido silencioso
Um gemido noturno abafado
Quando me escondo de todos
Pensando que de mim também me escondo

Mas nada, nada passa pelo tempo
Que não seja registrado pelas horas
De um carrilhão antigo que não reprime seu gemido
E o vento leva, tudo, tudo, inclusive lembranças

Sobra na minha mente apenas um vazio senil
Daqueles onde não sabemos quem somos, onde estamos
Apenas nos deixamos levar por um presente dolorido
Quando comparado aos momentos felizes já vividos...

Mário Feijó
10.07.10
Postar um comentário