Google+ Badge

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

ASSISTINDO À CHUVA

ASSISTINDO À CHUVA

Assistindo à chuva na janela
Eu vejo gotas levadas pelo vento
Em desespero querendo ganhar o chão

Há um bailado de gotas aflitas
Umas abraçam-se inseguras
E fortalecidas, sem medo
Formam poças no solo

A grama molhada arrepia-se
Quando o vento sopra
As árvores têm suas almas lavadas
E deixam-se brotar em flores e frutos

Os passarinhos correm de um lado para o outro
Alguns se arriscam em banhos refrescantes
Outros voam felizes para os ninhos
Na janela o gato silencioso assiste a tudo

À beira-mar a garça solitária
Busca o alimento dos filhotes
Enquanto tatuíras assustadas
Escondem-se embaixo das caudas das ondas...

Mário Feijó

23.12.15
Postar um comentário