Google+ Badge

terça-feira, 29 de junho de 2010

DOS TEUS OLHOS




Dos teus olhos eu vi brotar
A luz que me dava vida
Eu era apenas uma lágrima
Que se esparramava em tua face

Feito a fumaça que da tua boca saia
Num daqueles dias enregelantes de inverno
Eu me misturava no ar como se me perdesse
Na eternidade do tempo...

E numa felicidade infantil
Diante da segurança
Dos braços maternos

Eu me atirava buscando o horizonte
Para tentar nele encontrar
O amanhã que não vinha
Mas que contigo eu permaneceria...

Mário Feijó
29.06.10
Postar um comentário