Google+ Badge

segunda-feira, 31 de julho de 2017

DELÍRIOS POÉTICOS




DELÍRIOS POÉTICOS

“Só uma parte da existência cabe num poema.
A maior parte esbarra no muro das palavras
e permanece do lado de fora”
José Castello
In: COUTO, M. Poemas Escolhidos.  1ª. Ed. São Paulo : Cia das letras 2016

O poema é um delírio
Um momento de beleza
Em um instante de loucura
Na vida de um poeta

Ele (o poeta) tem os olhos
Que enxergam além do físico
Porque enxerga com olhos d’alma

Vê os encantos da vida
Na natureza das coisas
Nos eventos de cada sentimento
Na extensão de cada um

As palavras pouco dizem
O todo que o poeta vê
Em um mundo no qual
Ele é apenas o agente do sentir

Mário Feijó

31.07.17
Postar um comentário