Google+ Badge

sábado, 14 de fevereiro de 2015

SEM SOMBRA DE DÚVIDAS: É AMOR!...

SEM SOMBRA DE DÚVIDAS: É AMOR!...

Era tão grande a solidão
Que nem sua sombra
O acompanhava mais

E foi perdendo o senso
Não sabia mais definir amor
Tampouco sabia os limites dele

Aos poucos se misturou ao vento
No jardim tornou-se perfume de rosas
E nos animais era o feromônio

Não queria atrair ninguém
Apenas queria viver sem limites
O amor que ora sentia

E quando a chuva caiu
Havia no ar cheiro de grama molhada
Os botões se abriram em flor
E o colibri voltou a tocar suas pétalas...

Mário Feijó

14.02.15 
Postar um comentário