Google+ Badge

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

UM BURACO NEGRO





UM BURACO NEGRO

Pouco a pouco fui ficando vazio
Você arrancou de mim
O que eu tinha de melhor

E tal qual um buraco negro
Levou pra dentro de si
O que havia de bom

Sugou a fé que eu tinha em mim
Atraiu para si todos os meus amigos
E como se eu fosse uma laranja
Sugou todo o meu sumo
Minha inspiração e até o meu amor próprio

Quando olho para o que restou de mim
Vejo um corpo cansado, debilitado
Envelhecido em um canto qualquer
Já não atraio mais tua atenção
Sou apenas um buraco negro

Mário Feijó

30.12.16
Postar um comentário