Google+ Badge

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

PIMENTA ARDIDA

PIMENTA ARDIDA

Ela era apenas uma mulher
Não era doce
Nem tampouco amargurada
Rejeitou o filho assim que nasceu
Negou-se a alimentá-lo
Abandou-o no local onde nasceu
Uns diziam ser depressão pós-parto
Mas ela não sentia amor
Por aquele menino...

Ninguém sabia a causa
Todos a condenavam
Diziam que era má
Uma pimenta ardida
Porém ela sabia que não poderia amá-lo
Não depois do estupro sofrido
Sentia ódio pelo filho
Transferido daquele
Que a fizera mulher...

Feito um animal acuado
Aninhou-se num canto
Em seus braços
Colocaram uma menina
Órfã de mãe morta
Eclampsia disseram ser a causa
E a pimenta ardida tornou-se doce
Mãe daquela menina abandonada...

Mário Feijó

26.10.15
Postar um comentário