Google+ Badge

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

O RABO DA SEREIA

O RABO DA SEREIA

Ela tinha ares de sereia
E por onde quer que passasse
Jogava água na boca dos homens
Rebolando sua longa cauda escamosa

E seu canto tinha
O som das marolas marinhas
E o seu rabo inspirava sonhos de amor
Vontades de amar...

Peixinhos pululavam nas ondas
Estrelas brilhavam nas gotas
Que respingavam nos homens

E os meninos sonhavam
Seus sonhos adolescentes de amor
Toda vez que na frente deles nadava

Mário Feijó

16.10.15
Postar um comentário